domingo, 13 de janeiro de 2019

Nova empresa de ônibus começa a operar em fevereiro



Após analisar relatório detalhado da Diretoria de Trânsito e Transporte dando conta do grande número de reclamações e irregularidades que estão sendo constatadas no sistema de transportes operado pela empresa Translitoral, a Administração Municipal decidiu por antecipar, mesmo que provisoriamente, o inicio das operações da nova concessionária do serviço de transporte público. Por conta disso, a empresa City Transporte Urbano Intermodal, que venceu a licitação, assume a administração e a operacionalização do transporte público, já a partir do dia 1º de fevereiro de 2019.

Para o secretário de Defesa e Convivência Social, Luiz Cláudio Venâncio, a medida dá inicio a uma nova época para nossa cidade, “Queremos oferecer para o cidadão de Guarujá e Vicente de Carvalho e para aqueles que visitam nossas praias, um sistema de transporte público da melhor qualidade, ao nível dos melhores do Brasil.”

Ronei Cavalcanti, gerente operacional da City, esclarece que para atender a solicitação formal da prefeitura, a empresa apresentou as condições em que seria possível iniciar as operações nesse momento, considerando uma antecipação contratual. “Estamos antecipando o prazo previsto no contrato em mais de 60 dias, mas de forma nenhuma a City quer deixar de atender à população de Guarujá. Estamos fazendo da melhor forma possível, considerando as circunstâncias do transporte atual no município Vamos iniciar o serviço com veículos zero quilômetro e outros veículos seminovos, automáticos e articulados. Nossa intenção é manter aos usuários o serviço que ele tem hoje e conforme a frota zero quilometro for sendo disponibilizada pela montadora e pela encarroçadora, iremos informando com antecedência ao poder público os usuários a disponibilidade da frota  e esses veículos novos vão sendo alocados.”
“O que precisa realmente estar claro é que queremos atender os usuários da melhor forma possível, considerando que estamos antecipando uma situação que não estava prevista na licitação”, ressalta.

Contrato

O contrato assinado em outubro de 2018 pelo presidente da City, Roberto Pereira de Abreu e pelo prefeito Válter Suman, previa um prazo de seis meses, a partir da assinatura, para realizar as melhorias na infraestrutura viária, tais como: corredores exclusivos de ônibus, pavimentação de vias, reforma dos terminais Vicente de Carvalho e Ferry Boat, construção das estações de transferência, pontos de embarque e de desembarque, entre outras melhorias e frota nova, totalmente zero quilômetro com 25 ônibus articulados modelos BRT, 40 ônibus modelos Padron, 12 micro-ônibus, 43 do tipo convencional, um ônibus modelo Double Deck (para rota e linhas turísticas), três micro-ônibus executivos modelos Rodoviários (Serviços Executivos) e três vans adaptadas para transporte de pessoas com mobilidade reduzida, Wi-Fi, ar-condicionado,.além de um aplicativo, via GPS, para que o cidadão monitore a hora em que seu ônibus vai passar pelo ponto. (Via: O Itapema)

quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

Ineficiência da Sabesp continua causando transtornos por falta de água na temporada



O Procon Guarujá notificou a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) na tarde desta quarta-feira (2). O motivo são os transtornos gerados aos munícipes e turistas pela falta de água em alguns bairros de Guarujá, que ocorre desde o dia 31 de dezembro de 2018.
Com a medida, a Sabesp tem agora um prazo de 48 horas para prestar os devidos esclarecimentos, o que deve ser feito por meio de um relatório oficial justificando a interrupção do fornecimento de água e obrigada a apresentar relatório com os resultados do controle de pressão, além de fornecer informações quanto à existência de plano de ações para emergências e contingências no que diz respeito ao abastecimento em diversos pontos da Cidade, que até o momento, não foi restabelecida por completo.
Chamamento

Pelas redes sociais, o secretário de Meio Ambiente, Sidnei Aranha, solicitou que sejam registrados os casos de falta de água ou vazamento de esgoto na Ouvidoria ( telefones162, 33554211, 0800 773 7000). “Por conta de decisão judicial que a Prefeitura de Guarujá tem contra a empresa, faz-se necessário para que possamos mapear e registrar adequadamente cada reclamação. Estamos tomando providências, porém solicitamos que registrem mesmo que o abastecimento já tenha retornado”, explicou.

Em outra postagem, Aranha propôs uma reunião do Comdema, Conselho Municipal de Meio Ambiente, em Vicente de Carvalho, com secretários, Sabesp, sociedade civil organizada e toda população para um grande debate sobre o assunto. “Uma reunião onde vamos ver quem realmente quer resolver o problema ou quem quer fazer oportunismo em redes sociais”, conclui.

Condenação

Em maio de 2018, a empresa foi condenada em primeira instância a pagar multa superior a R$ 7 milhões em Ação Civil Pública movida pela Prefeitura Municipal de Guarujá.

Na sentença, o juiz Leonardo Grecco destaca que a empresa tem “obrigação de planejamento e atuação eficiente nestas situações de crise” e ressalta que “... não custa lembrar que os cidadãos guarujaenses sofrem muito quando se tem perda de turistas na cidade, já que muitos deles ganham a vida em épocas de temporada, de modo que a desídia da ré interfere diretamente no sustento da população. Se o caso fosse de falar do bem-estar dos cidadãos e turistas, então, o problema se potencializaria em demasia”.

O espaço está aberto para a manifestação da Sabesp.


domingo, 23 de dezembro de 2018

Projeto internacional elege APA Serra do Guararu uma das três melhores do País




A Área de Proteção Ambiental (APA) Serra do Guararu, localizada na região conhecida como Rabo do Dragão, em Guarujá, está entre os três melhores modelos de eficácia em Governança Ambiental do País.

A seleção foi feita por meio do Projeto Áreas Protegidas Locais, implementado pela Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH, em parceria com o ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade e a União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN), além de contar com o apoio do Internationale Klimaschutzinitiative (IKI), do Ministério Federal do Meio Ambiente, Proteção da Natureza e Segurança Nuclear da Alemanha (BMU) e Ministério do Meio Ambiente do Brasil.

Na carta encaminhada à Prefeitura, o secretário executivo do ICLEI América do Sul, Rodrigo de Oliveira Perpétuo, ressalta que a instituição – principal rede global de mais de 1.500 cidades e regiões comprometidas com a construção de um futuro sustentável - convidou os municípios a responderem ao Questionário – Contribuições para o Projeto Áreas Protegidas Locais, lançado em outubro de 2018.

De 36 questionários respondidos em todo o País, três foram selecionados os melhores: APA Serra do Guararu, em Guarujá; Parque Municipal Imperatriz Leopoldina, em São Leopoldo (RS) e Área de Proteção Ambiental do Manguezal da Barra Grande, em Icapuí (CE).
A análise levou em conta critérios como governança; envolvimento social para com a prática; linha metodológica clara; resultados considerando a conservação da biodiversidade; desenvolvimento sustentável e sua sustentabilidade.

“Os três casos selecionados representam iniciativas de conservação ambiental locais que denotam um importante avanço na gestão do território, destacando a configuração de sistemas de governança, representado por atores no nível local, regional e nacional que se articulam para a gestão sustentável de suas ações. Esperamos que a compilação e divulgação desses casos possam servir como apioo às estratégias de planejamento e implementação de Unidades de Conservação Municipais no Brasil”, aponta ele na carta. (Foto: Pedro Resende)

sábado, 15 de dezembro de 2018

MP recomenda suspensão da votação na Câmara Municipal de alterações no Plano Diretor



Por recomendação do Ministério Público (MP), a Câmara de Guarujá suspendeu a votação do projeto de lei que altera artigos do Plano Diretor do Município - instituído em 2013 (Lei 156) com validade até 2023. Segundo o promotor Osmair Chamma Júnior, faltou a realização de estudos de impactos urbanísticos, ambientais, financeiros e econômicos por parte do Executivo. O MP sugere que os estudos e o projeto de lei fiquem disponíveis ao público pelo menos 15 dias antes de uma audiência pública realizada pela Casa, após ampla ­publicidade.    
A Prefeitura informou ontem que deverá realizar uma nova audiência pública, com previsão para acontecer em janeiro, e o envio do plano a partir de fevereiro de 2019. A Câmara deve decidir pela aprovação, ou não, em duas sessões. Até então, a proposta visa ampliar o número de pavimentos de edifícios a partir da orla das praias, principalmente a da Enseada.
A proposta que pretende ampliar a área predial com escalonamento ascendente, que significa prédios mais baixos na orla e maiores nas quadras seguintes em direção à Avenida Dom Pedro.
Mudanças
As principais mudanças são as seguintes: na primeira quadra da orla poderão ser construídos prédios de até 15 metros de altura (cinco andares mais garagem). Atualmente o limite é 11,5 metros. Uma outorga onerosa (pagamento adicional) vai possibilitar dobrar a construção de edifícios para até 30 metros (nove andares mais garagem).
Na segunda quadra, será permitida a construção de prédios de até 65 metros (18 andares). Já da terceira quadra em diante, praticamente chegando na Avenida Dom Pedro, a permissão será para a construção de edifícios de até 75 metros de altura (25 andares com as garagens). Serão permitidas construções de garagens em frente ao passeio público, mas a partir da linha do prédio.
Apartamentos de até 60 metros quadrados poderão, no novo plano, possuir apenas uma vaga de garagem. Atualmente, os apartamentos têm que ter, obrigatoriamente, duas vagas. A primeira e segunda quadras serão denominadas Zona Mista Turística, que também será aplicada nas Astúrias, Pitangueiras, Tombo e Guaiúba. Perequê e demais não estão na proposta. Será permitida a ocupação numa quadra (10 mil metros quadrados) de apenas cinco mil metros (50%). Ou seja, os prédios construídos não poderão ultrapassar mais da metade da quadra. (Fonte: DL)


sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Às vésperas da temporada de verão, 32 motores de balsas estão em situação crítica



Turistas e trabalhadores que utilizam o sistema de travessias entre Santos e Guarujá que se preparem. Na véspera da temporada de verão e com previsão de que quase 5,5 milhões de usuários estarão entre dezembro e março do ano que vem na região, só 25% dos motores das balsas estão bons. A informação é do próprio diretor de Operações da Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa), Eduardo Di Gregório.
Em números exatos, são 17 motores bons, 19 em estado de atenção e 32 em situação crítica. Há motores cujo ano de fabricação é 1988. Sete balsas operam o sistema Santos/Guarujá (uma oitava fica de reserva) e duas Guarujá/Bertioga. Essa última travessia está operando com apenas uma embarcação e a previsão é que o serviço se normalize neste sábado (15).
Di Gregório esteve ontem, na Câmara de Santos, participando da audiência pública da Frente Parlamentar de Regulamentação do Transporte Hidroviário por Meio do Serviço de Balsas do Estado de São Paulo, sob a liderança do deputado estadual Paulo Corrêa Júnior (Patriota). Ele disse que a questão me motorização das embarcações é prioridade. Para isso, há previsão de compra de 32 motores novos, com investimento de R$ 10 milhões. “A licitação já foi iniciada hoje e, até o final de janeiro, acredito que os motores já comecem a ser instalados”, afirma, revelando que a prioridade será para embarcações que operam nas travessias Santos/Guarujá e São Sebastião/Ilhabela.     
O diretor de Operações disse que, em média, um motor leva duas horas para ser trocado, mas isso só ocorre em situações consideradas graves. Na travessia Santos/Guarujá, cinco balsas possuem quatro motores cada e três embarcações funcionam com dois motores cada. A Dersa pretende substituir 95 motores.
Investimento
Di Gregório ainda anunciou investimentos de R$ 54,3 milhões pelo Estado para o ano que vem, envolvendo também compra de novos flutuantes, reforma de terminais e estaleiros de Guarujá e Vicente de Carvalho, além de unidades de passageiros e compra de peças de reposição. No entanto, disse que não há previsão de aumento de embarcações em operação para a temporada 2018/19.     
O sistema da Dersa engloba oito travessias, com uma frota atual de 34 embarcações, entre lanchas e ferry-boats, a capacidade operacional chega aos 2.400 veículos por hora em cada sentido.
Ao todo recebe diariamente uma média de 22 mil pedestres, 22 mil veículos, 10 mil bicicletas e 9 mil motos. Em valores, a empresa fatura, só em relação a veículos na travessia Santos/Guarujá, cerca de R$ 106,5 mil por dia.  A Dersa é uma sociedade de economia mista, controlada pelo Governo de São Paulo.
Tudo errado
O diretor-presidente da Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano SA (Emplasa), Marcelo Martins de Oliveira, disse no encontro que o sistema não condiz com a eficiência, rapidez e segurança que a Dersa propaga em seu site e o que preconiza a legislação. “Quando você se depara com a norma e com o serviço prestado, percebe que existe um descompasso total. O serviço não é adequado, eficiente, não se mede as tarifas e as situações que surgem. É preciso cumprir as normas”, afirma.
(Carlos Ratton via: Diário do Litoral / Foto: Divulgação Governo do Estado de São Paulo)

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Prefeitura instala placas informativas com normas para utilização das praias



Com o objetivo de informar e conscientizar moradores e turistas, a Prefeitura de Guarujá está instalando placas informativas em todas as praias do município. O serviço já foi realizado na praia de Pitangueiras e, durante a semana, nas praias de Pernambuco, Astúrias e Enseada.  

A sinalização alerta para as regras contidas no Código de Posturas do município, que estabelece normas para utilização das praias, como a proibição de montagem de tendas, circulação de animais, tráfego de bicicletas no calçadão e faixa de areia, uso de aparelhos de som e prática de esportes não permitidos em determinados locais e horários.

Para a prefeitura, a conscientização da população e dos turistas é muito importante para que não haja abusos e todos possam desfrutar das praias da Cidade sem aborrecimentos. A iniciativa é importante para que os  frequentadores cumpram as normas indicadas pelas placas, respeitando o espaço das outras pessoas, evitando transtornos e sanções previstas pelo descumprimento das regras em vigor.


domingo, 19 de agosto de 2018

Sol volta a aparecer neste domingo



O sol voltou a aparecer neste domingo (19) e não há previsão de chuvas. A temperatura chega aos 26ºC de máxima e mínima de 14ºC. (Foto: Alberto Dias)